Ferramenta Social!!!

NOTÍCIAS, DICAS E MACETES DO MERCADO IMOBILIÁRIO. ENVIE AS SUAS DÚVIDAS!

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Taxa paga ao corretor na compra de imóvel é abusiva, diz Justiça


Do UOL, em São Paulo

A comissão paga ao corretor de imóveis e a tarifa cobrada pela assessoria jurídica prestada pela imobiliária são abusivas, segundo decisão tomada pelo juiz Lincoln Antônio Andrade de Moura, da 24ª Vara Cível do Foro Central João Mendes do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP).
A decisão se refere à ação de um consumidor contra uma imobiliária de São Paulo. Ele comprou um imóvel em setembro de 2009 e pagou a corretagem e a taxa conhecida como Sati (Serviço de Assessoria Técnica Imobiliária).

Imobiliária poderá recorrer da decisão

O juiz determinou que a imobiliária devolva, em dobro e com correção monetária, juros e danos materiais, os valores pagos pelo consumidor. Ele deverá receber, no total, R$ 40.139.
O resultado, porém, é em primeira instância, e a imobiliária pode recorrer.
Entre janeiro e março deste ano, a Associação de Mutuários de São Paulo e Adjacências já recebeu 477 queixas referentes às duas taxas. Em todo o ano passado, foram 302.

Cobranças são polêmicas

A decisão trata de duas cobranças que são motivo de polêmica atualmente. A Sati tem por objetivo custear uma análise jurídica do contrato e equivale a 0,88% do valor do imóvel. Um Termo de Ajustamento de Conduta assinado pelo Ministério Público com empresas do setor imobilário diz que a cobrança é correta.
Órgãos de defesa do consumidor, no entanto, dizem que esse gasto faz parte do serviço prestado pela imobiliária e não deve ser repassado ao consumidor. Eles dizem que o termo assinado não se sobrepõe à lei, e que a lei proíbe a cobrança.
Da mesma forma, os órgãos de defesa do consumidor consideram que quem compra um imóvel em um estande de vendas, por exemplo, não tem de pagar a comissão do corretor. Esse gasto teria de ser da incorporadora. O consumidor só deveria pagar a comissão do vendedor se tivesse procurado um profissional para encontrar um imóvel para ele, por exemplo.

2 comentários:

  1. Christiane Ávila2 de maio de 2012 11:41

    Oi!! Este é mesmo um assunto polêmico que pode envolver inúmeras interpretações. Eu acredito que a imobiliária deve sim repassar o dinheiro da comissão ao corretor de imóveis mesmo a venda sendo feita em uma feira. Como o mercado se comporta dessa maneira, não vejo motivos para ser diferente apenas por estar em um outro local de trabalho.

    Tenho um amigo que trabalha no ramo pela Auxiliadora Predial ( http://www.auxiliadorapredial.com.br/ ) e vive um momento muito feliz em seu trabalho. Mas ele demorou um pouco para conseguir um bom emprego na área.

    Muito bom o seu blog, vou visitar mais vezes. Bjo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Christiane. Obrigado por comentar o nosso post.
      Na verdade, toda a polêmica se dá por uma simples razão. As construtoras preferem que as comissões sejam pagas "por fora", ou seja, que o valor não se acrescente ao contrato de compra e venda e, consequentemente, ao valor do imóvel, muito embora a comissão esteja embutida na tabela de vendas das imobiliárias. Entendemos que, apesar de ser uma prática usual, é de fato indevida já que quem deve arcar com as comissões dos profissionais de venda é o vendedor, a menos que os mesmos sejam contratados pelo comprador para encontrar o imóvel de seu interesse. Essa prática é usual para o mercado primário (lançamentos) e pouquíssimo utilizada no mercado secundário (revendas/terceiros/imóveis prontos).
      Conto com as suas visitas e também para que ajude a divulgar o blog.
      Abs,

      Nero.

      Excluir